quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Padrasto tortura e mata enteado por achar que ele era gay

Foto: reprodução

O caso aconteceu em 2013, em Los Angeles, na Califórnia, mas o julgamento teve início na última segunda-feira (16).
Um homem, de 32 anos, está sendo acusado de torturar e matar o enteado, de oito anos de idade, com a ajuda da mãe da criança, por desconfiar que a criança era gay.
O americano Isauro Aguirre é acusado de torturar a criança com spray de pimenta, queimar a pele do menino com bitucas de cigarro e obrigá-lo a ingerir as próprias fezes e depois vomitá-las.
O menino também foi agredido e morto com um taco, dentro de casa. O casal disse à polícia que o menino tinha se suicidado, pois ele era homossexual.
A perícia descartou a possibilidade de suicídio e o casal foi preso. O advogado de defesa alegou que o homem “estava com problemas para lidar com uma situação muito estressante e caótica”.
A mãe do garoto, também será julgada por homicídio. Caso seja condenado, o homem pode ser levado à pena de morte. As informações são do site IG.

0 comentários:

Postar um comentário