Header Ads

Seo Services

Projeto Da Identidade Nacional Dos Radialistas, Já Tem Parecer Pronto Para Votação Na CCJ Do Senado Federal

O  projeto da Identidade Nacional dos Radialistas, já está com o parecer pronto para votação no CCJ- Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, do senado federal e o Senador sergipano, Alessandro Vieira, é o relator do processo PLC 153/2017 na Comissão de Constituição e Justiça no Senado.
Representantes da FITERT- Federação dos Radialistas e do STERTS-Sindicato dos Radialistas de Sergipe foram recebidos  por duas vezes pelo parlamentar em seu gabinete,  onde na ocasião, Alessandro demostrou entusiasmo e declarou apoio e voto favorável, assim como aceitou ser relator do referido projeto.
O Sindicato dos Radialistas de Sergipe (STERTS), participou ativamente com os senadores sergipanos,  junto com a Federação dos Radialistas a FITERT,  e entidades  deste setor, tem motivos para comemorar por mais  uma etapa, rumo  a então sonhada criação da carteira nacional dos radialistas.
Vale salientar que a entidade classista também foi muito bem recebida pelos senadores Rogério Carvalho e pela Senadora Maria do Carmo, que também declararam-se favorável.. Ressaltamos que o referido projeto já foi aprovado em duas comissões do Senado Federal, na CAS e CCT.
Proposições legislativas
PLC 153/2017
A carteira de radialista poderá valer como prova de identidade em todo território nacional. É o que prevê Projeto de Lei da Câmara (PLC) 153/2017, aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS). O texto, de autoria do ex-deputado André Moura, segue agora para análise da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e, depois, vai à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).
De acordo com a proposta, o documento será emitido pelo sindicato da categoria e, na inexistência deste, por federação devidamente credenciada e registrada junto à Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Já o modelo da carteira de identidade do radialista será aprovado por federação desses profissionais e trará a inscrição “Válida em todo o território nacional”.
Ao justificar sua proposta, André Vargas argumentou que essa reivindicação da categoria é antiga. A intenção é aplicar a mesma medida constante da Lei 7.084, de 1982, que atribui valor de documento de identidade à carteira de jornalista profissional.
O relator do projeto, senador Jorge Kajuru (PSB-GO), emitiu relatório favorável, com uma emenda de redação. Ele adaptou a proposição à nova denominação do “Ministério do Trabalho”, substituindo a expressão por “Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia”.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
Na foto a  entidade sindical está representada pelo presidente Elton Rickart, o vice-presidente Alex Carvalho, tesoureiro Fernando Cabral e a diretora Marcia Meirellys.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.