.

.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

APACA - Associação Para Proteção dos Animais de Cruz das Almas emite comunicado para população


A imagem pode conter: texto
Como é de conhecimento de todos, Cruz das Almas tem inúmeros animais vagando por ruas; muitos doentes; outros sendo atropelados; quase todos passando fome, frio, sede...
Filhotes abandonados por pessoas irresponsáveis, além dos animais errantes que procriam sem controle.
E a prefeitura está totalmente omissa a este problema.
A APACA solicitou uma reunião com o atual prefeito em abril, com o intuito de oferecer colaboração e saber da postura do executivo municipal em relação aos animais de rua. Nela só ouvimos promessas e conversa fiada, coisa que os políticos fazem bem.
O que pedimos foi a construção de um canil adequado para abrigar os animais de rua (não aquele depósito de cães altamente contaminado por doenças infecto contagiosas fatais, como Parvovirose e Cinomose, localizado atrás da Bibi) e a contratação de um médico veterinário (a exemplo do que foi feito na gestão passada).
O prefeito comprometeu-se a:
- Procurar um terreno público adequado para a construção de um canil e a disponibilizar 50% da verba necessária para a construção do mesmo. (A APACA comprometeu-se a tentar conseguir valor restante junto aos empresários, comerciantes e população de Cruz das Almas)
- Ficou de avaliar a possibilidade da contratação de um veterinário no regime de 20h semanais. Soubemos "extraoficialmente" que ele não vai contratar.
- Falou textualmente que "nenhum animal de rua ia morrer por falta de medicamentos" e que "liberaria de imediato valores de R$ 1000/1500 para a compra dos medicamentos urgentes".
- Determinou a criação de um "grupo de trabalho", do qual ele fazia questão de participar, para tratar desse assunto.
Nessa ocasião, o atual prefeito afirmou textualmente que "iria fazer em Cruz das Almas [em relação aos animais] algo que iria servir de modelo a todo o estado da Bahia".
Exceto pelo "grupo de trabalho", todo o resto ficou na promessa.
Em abril, esse "grupo de trabalho" reuniu-se no auditório do Hospital Veterinário da UFRB, com a presença da APACA, diretoras e professores do curso de medicina veterinária, representante do prefeito (já que o mesmo "não pôde comparecer"), das Secretarias Municipais de: Saúde, Obras e Serviços Públicos e Agricultura e Meio Ambiente, além de alguns protetores independentes.
Dessa reunião, a única coisa sensata e concreta que foi dita foram as explanações do corpo docente e administrativo do Hospital Universitário, que comprometeu-se a prestar todo apoio daquela instituição "desde que a prefeitura fizesse a sua parte".
Por parte dos representantes do "governo do povo" só o "blá-blá-blá" de sempre e, desde então, o silêncio total.
Todos os ofícios da APACA, encaminhados ao gabinete do prefeito, um deles com cópia para a procuradoria do município, solicitando posicionamento a esse respeito, não obtiveram NENHUMA RESPOSTA.
Os atuais membros da APACA assumiram a Associação em fevereiro deste ano. 
A APACA não recebe qualquer verba ou ajuda do governo ou de empresários. Dependemos de doações de objetos usados (roupas, calçados, etc.) que são vendidos em nossos bazares e de poucas e esporádicas doações em dinheiro, medicamentos ou ração.
Não temos sede e nem veículo próprio. 
Atualmente só contamos com o total apoio do Hospital Universitário de Medicina Veterinária da UFRB. Sem este suporte tão importante não conseguiríamos fazer nada pelos animais doentes/acidentados.
Os animais do "depósito" de cães da prefeitura, erroneamente chamado de canil, que são encaminhados para atendimento no HUMV, frequentemente ficam dias e até semanas sem medicação, pois a prefeitura não compra os medicamentos solicitados, embora o prefeito tenha garantido que "nenhum animal iria morrer por falta de medicamentos". Será que ele é mentiroso ou mal assessorado e essas informações não chegam a ele? Talvez os dois.
Normalmente é a APACA quem providencia esses medicamentos, caso o hospital não os tenha. Já vi vários casos em que uma das professoras custeou tratamentos do próprio bolso.
Será que a prefeitura imagina que um médico veterinário tem a capacidade de curar um animal só examinando-o?
Recentemente, por intermédio do Ministério Público, firmamos convênio com a CEAPA - Central de Apoio e Acompanhamento às Penas e Medidas Alternativas, para que a APACA se beneficie de sentenças judiciais convertidas em pagamento de multas. Como esse pagamento não pode ser em espécie (dinheiro), serão fornecidas opções de bens de interesse da APACA (medicamentos, material hospitalar, rações...) a serem pagos por essas pessoas.
Precisamos de todo o apoio dos simpatizantes da causa animal para pressionarmos o governo (prefeitura e câmara municipal) para tomar resoluções efetivas e imediatas. 
Doações de qualquer tipo/valor/quantidade também são bem vindas.
Para aqueles que pensam que só queremos cuidar de "bichinhos", saliento que, entre outras coisas, este problema é também um caso de saúde pública. Não queremos que venham acontecer casos graves de zoonose, em nosso município, que coloquem em risco a saúde de seus habitantes.

0 comentários:

Postar um comentário