.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Cruz das Almas: Embrapa e universidade turca realizam curso sobre criopreservação






 Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e Mugla Sitki Kocman Üniversitesi (Turquia) abriram as inscrições para o 2º Curso de Criopreservação de Plantas, que vai ser realizado de 14 a 18 de agosto em Cruz das Almas, em parceria com o Curso de Pós-graduação em Conservação de Recursos Genéticos Vegetais da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Ampliar os conhecimentos teóricos e práticos dos participantes sobre a criopreservação — técnica de conservação de longo prazo a temperaturas ultrabaixas (abaixo de 196 graus) — de tecidos vegetais (sementes, grãos de pólen e espécies de propagação vegetativa) é o objetivo principal do treinamento, que tem como público-alvo pesquisadores, professores, técnicos e estudantes de graduação e pós-graduação que trabalham diretamente com conservação e/ou cultura de tecidos de plantas.
Em 2016, a primeira turma foi coordenada por Fernanda Vidigal e Maria Elena González-Benito, professora da Universidade Politécnica de Madri. Desta vez, Fernanda divide a coordenação com o professor Ergun Kaya, da Mugla Sitki Kocman Universitesi, que vai ministrar suas aulas em inglês.

Assim como no ano passado, a turma vai ser restrita a apenas 15 vagas. “É um curso em que a abordagem prática acontece do começo ao fim e, por isso, oferece poucas vagas. A ideia é realmente atender”, afirma Fernanda, que também é curadora do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de Abacaxi da Embrapa Mandioca e Fruticultura. Nesta Unidade, a técnica da criopreservação começou a ser usada em 2016 como uma possibilidade para manter, também em laboratório, os BAGs localizados nos campos experimentais.

Para o agrônomo Jean Carlos Bettoni, participante da primeira turma, o curso foi imprescindível para o avanço da sua empresa. “Tivemos a oportunidade de contato com profissionais que são referência na área de criopreservação. Além da parte teórica explanada pelos ministrantes em sala, os participantes puderam executar toda a parte prática no laboratório, supervisionados por pesquisadores que já atuam há tempo na área. Essa característica torna o curso muito proveitoso, assim os participantes podem sanar suas dúvidas na prática. O curso foi fundamental para o progresso nas minhas pesquisas com criopreservação”, afirma Bettoni, doutorando em Produção Vegetal no Centro de Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina (CAV/Udesc), em Lages.

0 comentários:

Postar um comentário