.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Poema: Liberdade!


Por todos os ecos adormecidos surgem de repente, aqueles profundos desejos de liberdade. Que esse manto longamente estendidos sob os telhados dos oprimidos nao demore para se alargar numa festa de amor e paz.Nao quero a opressao que se alimentam das balas,elas calam aqueles que de modo corajoso e heroico calam a voz da razao. A liberdade plena e absoluta nos covida a desatar as correntes que teimam encarcerar nossos pulsos impedindo nossa etapa impar de verdade e retorno a individualidade. Quando finalmente ver surgirem os primeiros raios deste sol libertador,encararei meu vizinho, irmao distante aqueles fora de meus portoes para um convivio de harmoniosa e significativa chamada identificadora de luz. Lea Souza da Silva.

0 comentários:

Postar um comentário